26.3.11

Aos meus meninos

Eu ia escrever um post inteiro sobre o Seminário de Iniciação Científica que aconteceu sexta passada lá na escola, mas neste post Tertulino me poupou o trabalho. Ele disse muitas coisas que eu diria. Valeu, Tertu. Você sempre facilita a minha vida.

Pra mim, como coordenadora de pesquisa da escola, ver aflorar a formação científica - crítico-reflexiva - de meus meninos me proporciona um êxtase sem tamanho. Eu fico imensamente feliz. Eu incho de orgulho. Desde as menores coisas - como Edyellen, que fez sua primeira apresentação (há menos de um ano) parecendo um boneco de posto de gasolina e que, sexta, foi profissional, centrada e segurésima sobre o tratamento dado aos resíduos sólidos dos consultórios odontológicos do instituto. Como Kenned, que começou também tímido e inseguro ano passado - e que sexta era a coisa mais linda, todo encantado e seguro de sua pesquisa em geoprocessamento. Como Adria, debatendo questões metodológicas com um profe super cricri com serenidade e honestidade. Ou Êmmila, Dani e Pedro, que souberam do SIC e desejaram tanto participar que saíram à caça de um orientador - e desenvolveram um MEGAPROJETO que trará benefícios pra educação da rede pública do Vale do Assu inteiro (CARACA!). Leandro, com suas reflexões sobre Saramago e Romano de Sant'Anna; Nayara e Ondjaki, Ítalo e Marcelino Freire, Mariana e sua lagarta-do-cartucho, Caíque e sua mancha aquosa, Jailma e João e seus experimentos com reaproveitamento de óleo de cozinha. Nossa, a lista é enorme.

Meus meninos.

Lembro como se fosse hoje de abril de 2009, quando assumi a pesquisa. Foi um ano de muitos desafios: estruturar um setor inteiro, recém-criado. Os alunos veteranos sequer conheciam os eventos científicos do instituto. Nunca haviam ouvido falar em edital ou em bolsa de IC. Aliás, nem se sabia o que danado era IC. A divulgação dos editais internos era tão precária que - pasmem - SOBRARAM BOLSAS. Meus meninos não faziam ideia do que fosse um artigo científico e acreditavam que pesquisa era o ctrl + c, ctrl + v direto da Wikipedia.

Os problemas foram inúmeros e, pra minha alegria, não enfrentei nenhum deles sozinha. Tive o apoio e a compreensão fundamentais tanto da gestão, quanto dos servidores - e, mais importante de todos, o apoio e a compreensão dos... meus meninos. Muita coisa deu errado. Muita MESMO. Mas mesmo com muito dando errado, os resultados sempre apareceram - graças, PRINCIPALMENTE aos... meus meninos. Os meus meninos que não se envergam diante de uma dificuldade. Nem de várias.

Hoje eu saio do cargo sabendo de duas coisas: (1) muito do que eu tinha que fazer eu não dei conta; (2) muito do que tinha que ser feito foi feito. Dois anos depois, meu campus tem alunos engajados em pesquisa desde o primeiro período. Alunos que procuram servidores que os possam orientar; que descobrem datas de inscrição em eventos antes mesmo de mim;  que ficam no nosso pé pra saber quando vai sair o edital pras bolsas de IC; que querem colaborar, mesmo que como voluntários, com projetos de pesquisa pelos quais se apaixonam. Alunos que conhecem sua escola. Conhecem as oportunidades que ela oferece e aproveitam cada uma delas. Conhecem a vida que sua escola leva fora da sala de aula. Esses são os meus meninos.

Sexta-feira foi um momento muito simbólico pra mim. Pude ver que a escola hoje é profundamente diferente do que era quando a coordenação de pesquisa surgiu. Essa é uma vitória da qual me orgulho - mas NUNCA poderia me orgulhar dela sozinha. Nada do que fiz eu fiz só. Essa vitória eu compartilho com cada servidor, cada aluno, cada pesquisador - servidor ou aluno. Parabéns. Este interior pobre do Nordeste não é e nem será o mesmo graças à atuação brilhante de meus meninos. Meus meninos transformam sua realidade.

Parabéns, especialmente, pros meus meninos.

4 comentários:

Laion Monteiro disse...

Parabéns pelo empenho.

Parabéns por ter feito nascer vidas dentro de outras vidas.

Um beijo,

Laion

PriAliança disse...

Eu é que tenho que agradecer a cada uma delas, meu bem. Eu é que tenho que agradecer.

Obrigada.

Nayara Xavier disse...

Menina do céu. Obrigada por esse texto! Obrigada pelos dias que passou na coordenação, por essa tua vontade de melhorar - que instiga a gente - Pela tua força nos dando força, mesma quando dizia que não podia ou que havia muita dificuldade pra que aquilo acontecesse. Essa sexta-feira foi MARAVILHOSA. Estava precisando de algumas horas assim, de paz, de risos, de fazer o que eu gosto, de SER FELIZ algum instante. Não é drama, é o que se sente.

Sabes que não se livra da gente, né? ÓTIMO.
Bjs, meu bem.
E Abraço aí pro garotão de cima: LAION! uahsuahsuahs

PriAliança disse...

Assim eu choro, gatinha! ^^ Vocês são parte de mim!